24.5 C
Santo Antônio de Jesus
segunda-feira, 2 agosto, 2021

Nove das 43 cadeiras na Câmara de Vereadores de Salvador serão ocupadas por mulheres, em 2021, uma representatividade de quase 20,93%. A capital baiana é a oitava que mais elegeu vereadoras no Brasil Um dos mandatos vai ser exercido por três mulheres

Relacionados

Nove das 43 cadeiras na Câmara de Vereadores de Salvador serão ocupadas por mulheres, em 2021, uma representatividade de quase 20,93%. A capital baiana é a oitava que mais elegeu vereadoras no Brasil. Um dos mandatos vai ser exercido por três mulheres.

Laina Crisóstomo, Cleide Coutinho e Gleide Davis, todas do PSOL, vão fazer um mandato coletivo. Oficialmente, apenas a primeira vai poder participar das sessões e votar, porque a legislação eleitoral não reconhece mandatos coletivos.

“A estratégia da gente é pensar as pautas de luta da gente. A gente vem de movimentos diversos, eu venho do movimento de luta contra a violência contra a mulher, a companheira Cleide vem do movimento da moradia e a companheira Gleide vem do movimento da juventude”, explicou Laina Crisóstomo.

A capital baiana teve mais de 1.578 candidatos a vereador esse ano. Um aumento de quase 50% em relação à última eleição, mas a quantidade de vagas não mudou.

A partir do ano que vem, 22 partidos terão representantes na Câmara Municipal da capital. O partido Democratas foi quem mais elegeu vereadores: sete, um a mais que na última eleição. Logo atrás está o PT, que conquistou quatro cadeiras, também uma a mais que em 2016.

Dos candidatos escolhidos pelos eleitores, 25 foram reeleitos e 18 são novatos [levando em consideração os vereadores que estavam ocupando uma cadeira atualmente]. Uma renovação de 39,58%. Do total, 31 vão compor a base de apoio do prefeito eleito, Bruno Reis, 72,09% da casa e 12 devem compor a oposição ou blocos independentes. Números que pouco mudaram em relação à última eleição (30 de situação – 13 de oposição/independência).

Para o cientista político, Cláudio André, ter maioria na Câmara de Vereadores pode facilitar o trabalho do novo prefeito, mas também vai exigir habilidade para montar o novo governo.

“Com essa quantidade de vereadores eleitos e de partidos, gera um desafio na montagem do governo. Por isso que eu penso que o prefeito Bruno Reis terá que construir muita habilidade e negociação para conseguir montar o seu governo, obedecendo os interesses da política e obviamente os critérios técnicos, são importantes para o desenvolvimento da prefeitura”.

Além de Salvador, também teve renovação nas câmaras do interior. Em Feira de Santana, cidade a 100 quilômetros da capital baiana, dos 21 vereadores eleitos, 13 são novatos, uma renovação de 61,9%.

Já em Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, são 12 novatos, renovação de 57,1%. Em Itabuna, no sul do estado, são 17 novatos, renovação de 80,9%.

Em Juazeiro, no norte do estado, 14 novatos, renovação foi de 66,6%. Já em Barreiras, no oeste, dos 19 vereadores eleitos, 10 são novatos, renovação foi de 52,6%. G1

spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

+ Notícias

INSS: Beneficiários podem receber abono extra de R$ 2 mil

O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) poderá oferecer um abono extra de R$ 2 mil para aposentados e...
spot_img