Muniz Ferreira: Artistas e produtores de Cultura se espantam com a lista de contemplados do edital cultural Aladir Blanc

0
134

A Comunidade de produtores de eventos que sustentam e fomentam a cultura dentro do município de Muniz Ferreira, que é uma das camadas mais atingidas em decorrência dá Pandemia do COVID-19, que vem há um ano tentando sobreviver e sustentar suas famílias, foi surpreendida com a noticia que receberam na manhã do dia 01 de março 2021, onde pessoas que não tem nada a ver com a cultura local foram beneficiados pelo auxílio da lei Aldir Blanc.

A Lei Aldir Blanc (Lei Federal nº 14.017/2020) prevê o pagamento de auxílio emergencial a artistas, produtores, técnicos e espaços culturais como forma de auxiliar um dos setores mais afetados pela pandemia do coronavírus.
A questão é que os verdadeiros protagonistas que Produzem e Sustentam a Cultura de Muniz Ferreira, ficaram de fora desse benefilício, como os donos que Espaço Culturais, que sempre foram Utilizados para Festas culturais Exposições, Eventos, enssaios, casamentos, aniversários dentre outras manifestações culturais.

Assim como as Festa Tradicionais e que fazem parte da Memória Cultural do Município, como exemplos: a festa junina “Puxada do Bode”; Quadrilhas Juninas; “Lavagem do Bomfim” e outras mais. E também não podemos deixar de citar os Produtores Musicais, que ficaram de fora do Benefício. E tantos outros promotores de Eventos Culturais que movimentam o entretenimento e cultura da cidade; Corrida de jegue
Campeonatos de futebol, Quebra pote, Pau de sebo,
Bloco junino Jegue Elétrico,
Bloco das Nigrinhas. E não dos Agentes Culturais das localidades como: Taitinga, Ronco d”agua, Onha, Sodoma, Alto da Boniteza, Terreirão e demais localidades, que contribuem para a Construção Historia da Cultura ficaram de foram .

O Processo de Contemplados pelo benefício traz algumas dúvidas e vestígios de “Apadrinhamento e Privilégios”, pessoas e Grupos que nunca foram contribuintes da Cultura de Muniz Ferreira foram contemplados.
Para esse tipo de ato tem um nome, APROPRIAÇÃO CULTURAL: De modo geral, define-se apropriação cultural como o uso de objetos e expressões originárias de outras culturas fora do seu contexto. Isso ocorre quando um povo ou alguém “dominante” ressignifica símbolos e práticas do outro, historicamente dominado por ele, tornando-os objetos de consumo de forma equivocada e oportunista.

Detentores e detentoras dos bens registrados e trabalhadores de setores associados ao Patrimônio Cultural podem acessar o benefício financeiro instituído pela Lei 14.017, conhecida como Lei Aldir Blanc , que prevê auxílio a profissionais do setor cultural. E não para contemplar as pessoas mais próximas de quem está no PODER.
Ainda que não exista uma lei específica que assegure as ações diretamente relacionadas com a apropriação cultural, isso é CRIME PROFESSOR!

O Povo não é Besta, e o PODER EMANA DELE!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui