24.5 C
Santo Antônio de Jesus
sexta-feira, 17 setembro, 2021

Olimpíada: Brasil brilha no skate e judô e conquista primeiras medalhas

Relacionados

Olimpíada de Tóquio, na madrugada de sábado para domingo foi especial para o Brasil, Dois dias após o início oficial de competições, o País conquistou sua primeira medalha na capital japonesa. O paulista Kelvin Hoefler confirmou o favoritismo brasileiro pelo pódio no skate e ficou com a medalha de prata na categoria street. Ele obteve 36,15, ficando atrás apenas do japonês Yuto Horigome, com 37,18. O americano Jagger Eaton, com 35,35, levou o bronze.

Pela manhã na Olimpíada de Tóquio, o judoca Daniel Cargnin, estreante em Olimpíada, garantiu a medalha de bronze na categoria até 66kg ao derrotar o israelense Baruch Shmailov, por wazari. Na semifinal, O brasileiro não se intimidou diante do italiano Manuel Lombardo, líder do ranking e atual vice-campeão mundial, e garantiu a vaga na decisão. Com este resultado, o judô brasileiro mantém a tradição de subir ao pódio em todas as edições olímpicas desde Los Angeles/1984. São 23 no total. Essa é a segunda medalha brasileira nos Jogos de Tóquio.

O brilho brasileiro também foi notável no surfe. Gabriel Medina confirmou o favoritismo e avançou às oitavas de final do surfe nos Jogos Olímpicos de Tóquio. O brasileiro levou susto, mas fechou a quinta e última bateria de classificação do dia no masculino com nota 12,23, a segunda melhor performance, atrás apenas de Italo Ferreira. O campeão do circuito mundial avançou fez 13,67 pontos para avançar direto ao terceiro round em Tóquio. O japonês Hiroto Ohhara também se classificou na bateria, com 11,40. O italiano Leonardo Fioravanti (9,43) e o argentino Lele Usuna (8,27) foram os outros surfistas na estreia.

No feminino, Tatiana Weston-Webb competiu na quinta bateria e terminou em primeiro lugar, depois de somar 11,33 pontos, com ondas de 6,33 e 5,00. Ela avançou às oitavas junto com a francesa Johanne Defay, que fez 10,60 pontos. Já a peruana Sofia Mulanovich e a japonesa Amuro Tsuzuki, terceira e quarta colocadas, respectivamente, vão para a repescagem.

Silvana Lima, por sua vez, surfou na terceira bateria, a mesma que a heptacampeã mundial Stephanie Gilmore, da Austrália. Com 12,13 na pontuação final, na soma de 6,70 e 5,43 em suas melhores ondas, a brasileira ficou em segundo lugar, atrás da australiana, que somou 14,50. Com os resultados, todos os representantes brasileiros da modalidade se garantiram na próxima fase.

Confira outros destaques da madrugada olímpica

Ginástica

Grande nome da Olimpíada de TóquioSimone Biles começou sua caminhada em busca do pódio nesta madrugada. A americana de 24 anos demonstrou habilidade e força durante a classificatória, executando séries com alto grau de dificuldade.

Apesar de pequenos erros de execução, Biles se manteve superior tanto às rivais, quanto às colegas de equipe dos EUA. Com 57.731 pontos, ela lidera no individual geral, a compatriota Sunisa Lee (57.166) e as russas Angelina Melnikova (57.132) e Vladislava Urazova (57.099).

A ginasta também lidera no salto, com 14.966 pontos. No solo, ficou com 14.133, a segunda melhor pontuação. Surpreendendo, ela atingiu 14.566 pontos e também pode alcançar uma vaga nas barras assimétricas.

Na segunda posição, os Estados Unidos estão garantidos na decisão por equipes. O Comitê Olímpico Russo lidera.

Tênis

Um dos maiores símbolos da cerimônia de abertura da Olimpíada, a tenista japonesa Naomi Osaka começou bem sua caminhada rumo ao pódio. A atleta da casa derrotou a chinesa Saisai Zheng, 52ª do mundo, por 2 sets a 0, com parciais de 6/1 e 6/4, em 1h27min de confronto no Ariake Tennis Centre.

A madrugada  na Olimpíada de Tóquio, também foi maca pela desistência de Andy Murray, atual bicampeão olímpico, de participar da chave simples para focar na disputa em duplas. O tenista entraria em quadra na madrugada de domingo, contra o canadense Felix Auger-Aliassime, e foi substituído pelo australiano Max Purcell.

Tênis de mesa

O Brasil somou uma vitória e uma derrota no tênis de mesa nesta madrugada. Gustavo Tsuboi foi soberano e derrotou com sobras o romeno Ovidiu Ionescu (56º), vencendo por 4 sets a 1, parciais de 11/6, 9/11, 13/11, 11/9 e 11/9, após 48 minutos de jogo. Já Bruna Takahashi caiu diante da francesa Yuan Jia Nan.

Natação

Após se destacar nas eliminatórias, Felipe Lima caiu de rendimento nas semifinais e foi eliminado nos 100 metros peito. O nadador brasileiro vinha em grande momento, depois de obter seu recorde pessoal na fase eliminatória. No entanto, registrou tempo pior na semifinal.

A primeira sessão de finais também reservou o primeiro recorde mundial da modalidade nesta Olimpíada. A equipe australiana — composta por Bronte Campbell, Meg Harris, Emma McKeon Cate Campbell — registrou nova marca mundial no revezamento 4×100 metros livre, com 3min29s69. O recorde anterior já era australiano, com 3min30s05, de abril de 2018. O time canadense levou a prata, com 3min32s78, seguido das americanas, com 3min32s81.

Primeira grande surpresa da natação em Tóquio, o tunisiano Ahmed Hafnaoui, de apenas 18 anos, venceu com 3min43s36. No Rio-2016, o australiano Mack Horton venceu com 3min41s55, enquanto, em Londres-2012, o chinês Sun Yang havia faturado o ouro com tempo ainda melhor: 3min40s14.

Vela

Lenda do esporte brasileiro, Robert Scheidt estreou em sua sétima Olimpíada com um 11º lugar na regata que abriu a classe Laser. O atleta de 48 anos somou 11 pontos perdidos, ao terminar a disputa dois minutos depois do líder da prova.

O vencedor da primeira regata foi o francês Jean-Baptiste Bernaz, com um ponto perdido. Ele foi seguido pelo finlandês Kaarle Tapper e pelo norueguês Hermann Tomasgaard, com dois e três pontos perdidos, respectivamente. Ao longo da disputa, o velejador brasileiro chegou a figurar no sexto posto, mas perdeu seguidas posições na reta final.

Pela categoria feminina, Patrícia Freitas estreou com o 13º lugar na classe RS:X. A experiente atleta de 31 anos anotou 13 pontos perdidos na primeira regata. Haverá mais duas disputas neste domingo, na Baía de Enoshima, a cerca de 25 quilômetros da capital japonesa.

A classe começa com a liderança da francesa Charline Picon, com apenas um ponto perdido. Na sequência, vêm a chinesa Yunxiu Lu, com dois pontos, e a israelense Katy Spychakov, com três. A disputa da RS:X será finalizada somente no dia 31. Até lá serão disputadas mais 11 regatas e a chamada “medal race”.

Remo

Único representante do Brasil Olimpíada de Tóquio, no remo, Lucas Verthein avançou às semifinais na categoria single skiff. Em prova disputada na madrugada deste domingo – horário de Brasília – o brasileiro terminou a sua bateria na segunda colocação e, no geral, ficou em quinto. Para se garantir entre os 12 melhores, Lucas Verthein fechou a prova em 7min14s26, apenas 1s51 atrás do alemão Oliver Zeidler, que venceu a quarta e última bateria das quartas de final.

Canoagem slalom

Ana Sátila se classificou para a semifinal da canoagem slalom (na categoria K-1), neste domingo, ao terminar em sétimo lugar nas eliminatórias. Das 27 competidoras, 24 obtiveram classificação. A brasileira fez seu melhor tempo na segunda bateria, com 108s22, sem punição. O primeiro lugar ficou para a australiana Jessica Fox, com 98s46. Ricarda Funk, da Alemanha fez o segundo tempo, seguida pela neozelandesa Luuka Jones e pela italiana Stefanie Horn.

Taekwondo

Edival Marques, conhecido como Netinho, estreou com derrota na disputa do taekwondo e está eliminado dos Jogos de Tóquio. O brasileiro foi superado por 25 a 18 pelo turco Hakan Reçber nas oitavas de final da categoria até 68kg, ele teve de esperar pelo desfecho do algoz na competição para saber se poderia disputar uma repescagem. Com a derrota do turco para o britânico Bradly Sinden, o sonho do brasileiro acabou.

Vôlei de praia

Bruno Schmidt e Evandro estrearam com sofrida vitória nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Num jogo repleto de erros e sob intenso calor, os brasileiros precisaram do tie-break para fechar o jogo contra os primos chilenos Esteban Marco Grimalt em 2 a 1, parciais de 21/15, 16/21 e 15/12.  Fonte: terra

 

Leia Mais: 

Em vitória contra a Covid-19, Luciano Szafir recebe alta após um mês internado

spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

+ Notícias

SAJ: Unidade de Saúde da Urbis 3 é reaberta após ficar fechada durante 10 dias

Após ficar fechada durante 10 dias a Unidade de Saúde da Família (USF), Antônio André de Souza Filho, localizada...