24.5 C
Santo Antônio de Jesus
domingo, 22 maio, 2022

O que é dívida negativada? Como consultar? Como pagar?

Relacionados

Não sabe o que é dívida negativada? Vem com a gente que explicamos! Esse termo representa a inclusão de um débito em algum órgão de proteção de crédito. Ou seja, é o popular “nome sujo”.

Essa é uma explicação bem breve, pois há diversos outros detalhes. Caso tenha interesse em saber mais sobre o assunto, continue a leitura. A seguir, apresentamos tudo que você precisa saber para entender o que é dívida negativada!

O que é dívida negativada?

Dívida negativada é o conceito utilizado para definir um débito que foi incluído em algum órgão de proteção de crédito, como Serasa e SPC. Isso é popularmente conhecido como “nome sujo”.

Contudo, uma dívida não se torna negativada da noite para o dia. O credor costuma enviar uma série de cobranças, durante meses, antes de incluir o seu CPF ou CNPJ nos órgãos de proteção de crédito.

Em outras palavras, a empresa para qual você está devendo decide quando vai tornar a dívida negativada, o que pode levar muito tempo. Além disso, um aviso é enviado antes da inclusão.

Quais são as diferenças entre dívida negativada e dívida atrasada?

Basicamente, uma dívida atrasada se torna negativada quando cadastrada em alguma instituição de proteção de crédito. Portanto, a principal e única diferença é a questão do “nome sujo”.

Ter uma dívida atrasada significa que você está em débito com o credor, mas que ainda não sofre limitações. Após a inclusão em um dos órgãos, a dívida se torna negativada e diversas limitações são atreladas ao seu CPF ou CNPJ.

Quais são as consequências de uma dívida negativada?

A principal consequência é a dificuldade para obter crédito, como empréstimofinanciamento, limite de cartão de crédito, entre outros. Além disso, você pode ser impedido de alugar um imóvel e de comprar em algumas lojas.

Como deu para notar, uma dívida negativada pode causar diversos problemas para uma pessoa física. Porém, as adversidades podem ser ainda piores para as empresas.

Isso porque a negativação pode resultar no cancelamento de negócios fechados, bem como dificultar o fechamento de novos.

Além de que a obtenção de crédito é uma das principais estratégias utilizadas pelas organizações para crescer com agilidade.

Dito isso, o ideal é manter uma gestão financeira adequada para evitar dívidas convencionais e, principalmente, negativadas.

Como consultar dívida negativada?

Dificilmente você não saberá que uma dívida em seu nome foi negativada. Como dissemos, além de diversas cobranças, um aviso de inclusão é enviado, geralmente, por carta ou e-mail.

Entretanto, caso haja o interesse em consultar se existe alguma dívida negativada em seu nome, é preciso se cadastrar nos sites dos órgãos de proteção de crédito. Os três principais são o SPC, o Serasa e o Boa Vista SCPC.

O ideal é que o cadastro seja feito nos três sites, porque cada empresa utiliza o órgão de sua escolha.

Esse acompanhamento é uma boa medida para descobrir se alguma dívida foi negativada indevidamente. Isso pode acontecer nos seguintes casos:

  • golpes e fraudes, como clonagem de cartão;
  • cobrança inexistente, quando você nunca fez negócio com a empresa ou teve alguma dívida com ela;
  • quando seu nome continua “sujo” mesmo após quitar a dívida.

Nesses casos, o melhor caminho é entrar em contato tanto com a empresa quanto com a instituição de proteção de crédito para apresentar as comprovações de que há dívidas negativadas em seu nome.

Caso mesmo assim o sistema apresente alguma dívida negativada, há a possibilidade de entrar com uma ação judicial.

Como pagar uma dívida negativa?

Ao saber que você tem uma dívida negativada e em qual órgão de proteção de crédito ela está inscrita, há duas opções:

  • quitar a dívida integralmente;
  • fazer um acordo para parcelá-la.

Geralmente, os credores aceitam acordos para diminuir os juros nos dois casos, facilitando o pagamento.

E um ponto que vale a pena destacar é que a dívida negativada caduca após 5 anos, segundo o Código de Defesa do Consumidor. O que isso significa? O nome do devedor sai do cadastro dos órgãos de proteção de crédito.

Porém, diferentemente do que muitos pensam, isso não indica que a dívida deixou de existir. O pagamento continua sendo necessário e os juros permanecem aumentando. A única diferença é que não haverá limitações para obtenção de crédito.

4 dicas para evitar a aquisição de dívidas negativadas

Agora que você já sabe o que é dívida negativada, vamos entender como a aquisição de uma pode ser evitada. Confira quatro dicas:

  • controle o uso do cartão de crédito;
  • faça um planejamento financeiro;
  • monte uma reserva de emergência;
  • estude sobre finanças pessoais.

1. Controle o uso do cartão de crédito

Um dos principais motivos para o endividamento de brasileiros é o uso indiscriminado do cartão de crédito, utilizando-o para parcelar diversas contas, inclusive de consumo, como água e luz.

Um levantamento realizado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), descobriu que o cartão de crédito é o responsável pela negativação de 67% dos CPFs brasileiros, ficando atrás apenas do empréstimo (69%) e do crediário (68%).

Portanto, é fundamental aprender a controlar o uso do cartão de crédito ou até mesmo não tê-los. Uma dica importante para isso é considerar o valor completo da compra mesmo se parcelada.

2. Faça um planejamento financeiro

O planejamento e a gestão financeira são as principais maneiras de coordenar suas contas. Dessa forma, é possível se organizar para manter todas as despesas indispensáveis em dia e destinar uma quantidade adequada para, por exemplo, lazer e viagens.

Para isso, basta registrar todo dinheiro que entra e sai em uma planilha ou aplicativo. Além disso, é interessante saber quais são os custos fixos mensais.

3. Monte uma reserva de emergência

Situações inesperadas podem acontecer com qualquer pessoa a qualquer momento, como problemas no carro ou a descoberta de uma condição médica. Afinal, vivemos em um mundo repleto de riscos.

A questão é que esses acontecimentos podem resultar em altos custos e, por você não estar preparado, podem se tornar dívidas.

Sendo assim, reverta esse cenário e monte uma reserva de emergência. Calcule qual é o seu gasto mensal e guarde o equivalente a 6 ou 12 meses.

4. Estude sobre finanças pessoais

A educação financeira é o melhor caminho para entender como controlar seu orçamento e aprender a investir de acordo com seus objetivos.

A questão é: onde encontrar conteúdos confiáveis e úteis sobre o assunto? Você já está no lugar perfeito! Aqui, no blog da Fintech, é possível encontrar diversos artigos sobre finanças pessoais e investimentos. Fonte: fintech

 

 LEIA MAIS: Novo empréstimo consignado do Banco do Brasil; Saiba mais

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

+ Notícias

SAJ: Mais um vereador “muda de lado”Agora e o vereador Morao

O prefeito de Santo Antônio de Jesus Genival Deolino, aumentou a bancada de situação na Câmara Municipal da cidade....