24.5 C
Santo Antônio de Jesus
terça-feira, 26 outubro, 2021

Queiroga diz que testou negativo para covid-19 e voltará ao Brasil

Relacionados

BRASÍLIA – O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou neste domingo, 3, que testou negativo para a covid-19. O ministro vai retornar ao Brasil, após cumprir quarentena nos Estados Unidos. Queiroga havia sido infectado durante a passagem da delegação que representou o País em Nova York, na Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU).

Queiroga divulgou que não e

stá mais com a covid-19 por meio de mensagem publicada no Twitter. O ministro disse que volta ao Brasil “em breve”, mas não especificou data. “Meu novo exame de RT-PCR deu negativo para a covid-19. Em breve retorno ao bandeira do Brasil! Agradeço a todos que enviaram boas vibrações. Mãos dadas. Vamos em frente!”, escreveu.

A confirmação de que ele estava com covid-19 ocorreu 12 dias atrás, em 21 de setembro. Ele foi obrigado a permanecer em solo norte-americano, sendo o último integrante da comitiva presidencial no país. Na véspera de ter a doença confirmada por exames, Queiroga protagonizou ofensas a manifestantes contrários ao presidente Jair Bolsonaro, exibindo o dedo médio a eles, o que causou constrangimento internacional.

Na sexta-feira, 1º, o chefe da pasta da Saúde declarou que o teste feito no dia anterior dera resultado positivo e que ele seguiria em quarentena nos país, onde está desde o dia 19 de setembro. Nos três primeiros dias do evento da ONU, Queiroga esteve com pelo menos trinta pessoas.

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou que todos os integrantes da comitiva presidencial que foram aos EUA ficassem de quarentena. O presidente Jair Bolsonaro ficou em isolamento por cinco dias no Palácio da Alvorada e interrompeu após testar negativo para a doença.

Três dias após o diagnóstico positivo para covid-19 do ministro da Saúde, mais dois integrantes do primeiro escalão do governo do presidente Jair Bolsonaro informaram testaram positivo para covid-19: a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, e o advogado-geral da União, Bruno Bianco. Além deles, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, e o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, também confirmaram ter testado positivo, aumentando para quatro o número de casos de contaminações na delegação brasileira que foi aos Estados Unidos.

Tereza e Bianco não fizeram parte da comitiva brasileira na ONU, que ainda teve um caso positivo de um diplomata do Itamaraty. O servidor fazia parte da equipe precursora, que cuidou dos preparativos para a visita.

spot_img
spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

spot_img

+ Notícias

Rivais, Wesley Safadão se aproxima do irmão de Gusttavo Lima; entenda a polêmica

Wesley Safadão está se aproximando do compositor Luciano Lima, que é irmão de Gusttavo Lima. Nos Stories do Instagram, Luciano repostou...